A hipoglicemia é um problema frequente entre os pacientes diabéticos e pode ter sérias consequências para o paciente.

O baixo nível de glicose no sangue faz com que o corpo não funcione adequadamente, fazendo o paciente passar mal e, em alguns casos, desmaiar.

Para falar mais sobre o assunto e trazer informações relevantes sobre o tema, criei esse artigo!

O que é hipoglicemia?

A hipoglicemia é um distúrbio que ocorre quando os níveis de glicose do sangue estão abaixo do normal.

A glicose é como se fosse o combustível das células e, na sua ausência, o organismo não funciona como deveria, o que causa alguns sintomas como:

  • confusão mental,
  • tontura,
  • suor frio excessivo,
  • palpitações
  • sonolência e até desmaios
  • fome.

Vale ressaltar que nem sempre esses sintomas são iguais para todos. 

Há quem sinta apenas alguns deles e outros que contam com reações mais extremas, como coma, convulsões ou, até mesmo, vir a óbito.

Por que pacientes com diabetes têm crises de hipoglicemia?

A hipoglicemia pode ocorrer de diferentes formas e em diversas pessoas, mas é muito comum em pacientes com diabetes que fazem tratamento com insulina ou outros medicamentos que estimulam a produção de insulina pelo pâncreas.

Segundo o órgão oficial de divulgação científica da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), esse problema afeta cerca de 90% das pessoas que usam insulina.

Isso ocorre pois essa substância faz com que a glicose que está no sangue entre rapidamente dentro das células para serem usadas como fonte de energia. Quando utilizada de forma excessiva combinada com a baixa ingestão de carboidratos, pode causar uma crise de hipoglicemia.

Como tratar crises de hipoglicemia em diabéticos?

A hipoglicemia traz vários sintomas que são muito desconfortáveis e, caso não seja tratada, pode ter sérias consequências para o paciente, como lesões ou morte cerebral.

Há, inclusive, casos de crianças que desenvolvem déficit cognitivo por terem baixos níveis de açúcar no sangue de forma prolongada.

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) recomenda que, ao notar uma crise, o paciente coma entre 15 a 20 gramas de carboidratos simples, como:

  • 1 colher de sopa de açúcar dissolvida na água,
  • 1 colher de mel para pacientes com mais de um ano de idade,
  • 200 ml de refrigerante comum,
  • 1 copo de suco de laranja integral.

Após essa ingestão, aguarde 15 minutos e faça a medição da glicose no sangue. 

Se ainda estiver baixa, repita o processo acima até voltar ao normal.

Com a normalização, não fique mais de duas horas sem comer. Faça um lanche pequeno nesse intervalo para evitar problemas.

Além disso, a SBD também recomenda que, no caso de desmaios, o paciente tenha consigo uma injeção de glucagon, um hormônio que estimula a liberação de glicose no sangue. Caso você ou seu filho tenha essas crises, converse com o médico para que ele avalie esse tratamento e ensine o método correto de aplicação.

Outra dica valiosa é ter uma pulseira ou colar identificador que aponte que o paciente é portador de diabetes e pode estar tendo uma crise de hipoglicemia, indicando que a ambulância deve ser chamada.

Quais são os cuidados para evitar hipoglicemia em pacientes com diabetes?

Além de saber como reagir, eu sempre recomendo para os meus pacientes algumas práticas que auxiliam a evitar as crises de hipoglicemia.

A primeira é fazer o uso da insulina de maneira correta, seguindo as indicações do médico.

Também é importante fazer a automonitorização de forma constante para identificar alguma anormalidade e tratá-la de forma precoce.

Para os pacientes que praticam exercícios físicos moderados a intensos e mais duradouros, deve-se sempre ingerir uma pequena porção de carboidrato antes e durante a prática ou ainda reduzir a dose de insulina, o que deve ser conversado de forma prévia com o médico.

Também recomendo, ao ter crises de hipoglicemia, conversar com o endocrinologista para ajustar as doses durante as consultas de rotina.

Por fim, é importante ainda evitar jejuns prolongados e ter uma alimentação balanceada.

Se você é ou tem um familiar que tem diabetes e não faz o acompanhamento médico da doença, não deixe de agendar consultas periódicas com um médico especializado que irá analisar o seu caso e traçar o tratamento ideal.

Conte comigo para isso. Sou endocrinologista e atuo em Natal. Posso, durante a consulta, te ajudar a corrigir este problema.